A Paixão Segundo G. H. // Clarice Lispector

Tuesday, 11 October 2016



- Tu eras a pessoa mais antiga que eu jamais conheci. Eras a monotonia de meu amor eterno, e eu não sabia. Eu tinha por ti o tédio que sinto nos feriados. O que era? era como a água escorrendo numa fonte de pedra, e os anos demarcados na lisura da pedra, o musgo entreaberto pelo fio d'água correndo, e a nuvem no alto, e o homem amado repousando, e o amor parado, era feriado, e o silêncio no voo dos mosquitos. E o presente disponível. E minha libertação lentamente entediada, a fartura, a fartura do corpo que pede e não precisa.
(...)
Mas tudo isso era fino demais para a minha pata humana. E eu, eu queria a beleza.

Clarice Lispector, A Paixão Segundo G. H., p 122

PT
Porque às vezes as maiores revelações surgem da banalidade que encontramos na vida de todos os dias, quando estamos demasiado distraídos ou ocupados para reparar. Viver é estar atento.

EN
Because sometimes the greatest revelations come from the banality we encounter in everyday life, when we are too busy or distracted to notice. To live is to be aware.

2 comments:

  1. que texto maravilhoso. obrigada pela partilha ♥

    ReplyDelete
    Replies
    1. É mesmo! Obrigada pela visita Ana **

      Delete

Ana Pina | blog

All rights reserved | Powered by Blogger

^