Uma Viagem à Índia

Monday, 14 July 2014

A Viagem à Índia chegou ao fim... até já Gonçalo M. Tavares! #desculpashámuitas 5.23 despedida

De qualquer maneira, ninguém está assim tão vivo.
O inexplicável não é, muitas vezes, o reduzido número de paixões
por dia, mas sim a razão por que não nos atiramos todos,
um a um, a intervalos regulares, de um prédio alto.
Não há duas pessoas que estejam ao mesmo tempo
no mesmo lugar: uma pessoa foge das
outras. No autocarro, lê-se o jornal para não se olhar para o lado.
O frio deixou de entrar pela janela - entra pelas notícias.
Fecha-se o jornal; já podes levantar os olhos: felizmente estás sozinho.

Gonçalo M. Tavares, Uma Viagem à Índia
40, canto V, página 221

PT
A leitura de qualquer livro de Gonçalo M. Tavares será, muito provavelmente, uma maravilhosa viagem.
Conheci-o com a leitura de Jerusalém, um pouco por acaso, e quando fechei o livro depois de ler a última página, tive a certeza de que seria um autor que iria reler e reler ao longo da vida.

Difícil descrever a sensação - a de ter descoberto um autor que servirá sempre de referência, do qual irei sempre querer ler os próximos livros publicados ou descobrir os livros que existiram antes disso.
Senti-o com Saramago, aos 15 anos, e nunca voltei a senti-lo com a mesma intensidade.

Uma Viagem à Índia é, definitivamente, um livro diferente. Percebe-se mal se abre o livro, pela forma como está escrito, que a leitura não será fácil nem comum. Uma epopeia moderna, cheia de referências, reflexões, frases-revelação. Exigente e rigoroso, Gonçalo M. Tavares parece encarar o pessimismo com a naturalidade de uma lucidez desconcertante, enquanto aborda os temas da morte, da existência e crueldade humanas com uma intensidade séria e segura, digna de um raciocínio matemático.

Se gostam de ser psicologicamente surpreendidos, não deixem de ler Gonçalo M. Tavares.

EN
To read any book by Gonçalo M. Tavares will, most definitely, be a wonderful trip.
I first contacted his style with the reading of Jerusalém, somewhat by chance, and when I closed the book after reading the last page, I was sure it would be an author I would reread and reread throughout my life.

It's difficult to describe the feeling - to have discovered an author who will always serve as a reference, whose published books I'll always want to read.
I felt it when I first read Saramago, at age 15, and never felt it with the same intensity again. 

Uma Viagem à Índia [A Voyage to India] is definitely a different book. One perceives it in the instant one opens the book, by the way it's written: the reading won't be easy nor common. A modern epic, full of references, reflections, revelation-phrases. Demanding and rigorous, Gonçalo M. Tavares seems to see pessimism with the naturalness of a disconcerting clarity, while deals with themes of death, existence and human cruelty with a serious and self-assured intensity, worthy of mathematical thinking. 

If you like to be psychologically overwhelmed, don't forget to read Gonçalo M. Tavares, a Portuguese author translated in over 45 countries.

0 comments:

Post a Comment

Ana Pina | blog

All rights reserved | Powered by Blogger

^