Lomo adventure... experimenting a SuperSampler!

Thursday, 11 October 2012

on film | Santa Maria
on film | Santa Maria
on film | Santa Maria
on film | Santa Maria
on film | Santa Maria
on film | Santa Maria
on film | Santa Maria
on film | Santa Maria
on film | Santa Maria

Já conheço a Lomo e a sua história há algum tempo... mas isto de experimentar efectivamente uma das câmaras é coisa recente.
Para quem não sabe, a febre da Lomografia começou no início dos anos 90 quando um grupo de estudantes vienenses viajava por Praga e comprou por acaso uma LOMO LC-A - uma estranha e antiga câmara de origem russa, inicialmente criada em 1982 sob ordens do Ministério da Defesa, com o intuito de reproduzir uma câmara compacta japonesa. Chegados a casa e maravilhados com o resultado das fotos, de cores vibrantes e saturadas, decidiram que queriam mais.
Daí até ao nascimento da Sociedade Internacional de Lomografia e ao lançamento oficial das 10 regras de ouro deste novo conceito de fotografia, em 1992, foi um passo.
Muitas exposições, embaixadas lomográficas, câmaras, lojas e fotografias depois... a lomografia tomou conta do mundo da fotografia analógica.

Muitos excessos, obsessões e edições especiais à parte, esta comunidade é sem dúvida atractiva - e também eu decidi que era altura de fazer parte! O N. tinha uma SuperSampler à espera de rolo há anos e aproveitei as férias em Santa Maria para finalmente experimentar tirar algumas fotos.
É sabido que o resultado é geralmente inesperado e frequentemente frustrante, mas... diria que é também nesse processo que reside o encanto das Lomo. Quem tem o bichinho saberá a que me refiro.

A dada altura a câmara deixou de puxar o rolo devidamente, por isso já não sabia muito bem o que esperar... limitei-me a ir clicando no botão e a esperar pelo melhor. Quando chegou a altura de revelar o rolo, e prevendo o desperdício de papel em fotos inúteis, optei por revelar para negativo e cd - para papel logo se vê! E o resultado não foi assim tão mau, afinal. Adoro as cores saturadas e, na maior parte dos casos, os enquadramentos surpreendem pela positiva. Até os mais estranhos casos de puro descontrolo resultaram em combinações surpreendentes, numa luta criativa em que a máquina, definitivamente, saiu vencedora - se calhar ela sabe o que faz melhor do que eu, para todos os efeitos.

Se gostei? Bem, suponho que difícil será parar, pois já ando às voltas na loja a pensar numa próxima aquisição... pondo de parte os modelos mais caros, sinto-me tentada pela Diana F, mas queria adaptá-la a filmes de 35mm, senão as condicionantes são muitas! São tantas as hipóteses, variantes e acessórios que é difícil não me perder...
E vocês, têm uma Lomo? O que aconselham?
_

I already know the Lomo and its history for a while... but to actually experiment one of the cameras is something recent.
For those unaware, Lomography fever started in the early 90s when a group of Viennese students traveling through Prague bought by chance a LOMO LC-A - a strange and old camera of Russian origin, originally produced in 1982 under orders of Ministry of Defence, in order to reproduce a Japanese compact camera. When they arrived home, they were amazed with the result of the photos of vibrant, saturated colors and decided they wanted more.
Hence until the birth of Lomographic Society International and the official launch of the 10 golden rules of this new concept of photography, in 1992, was only a step.
Many exhibits, Lomographic embassies, cameras, shops and photos afterwards... Lomography has taken the world of analogue photography.

Many excesses, obsessions and special editions aside, this community is undoubtedly attractive - and I decided it was time to join! N. had a SuperSampler waiting for a film for years and I took the opportunity of the holiday in Santa Maria to finally try to take some pictures.
It's known that the result is usually unexpected and often frustrating, but... I would say that this process is also part of the charm of Lomo. You Lomo addicts will know what I mean.

At a certain point the camera stoped to pull the film properly, so I wasn't sure what to expect... I just kept on clicking and hope for the best. When it came time to reveal the film, and expecting a huge paper waste on useless pictures, I chose to reveal to negative and cd - then we'll see about the paper version! And the result was not so bad after all. I love the saturated colors and in most cases the frameworks are surprising positive. Even the strangest cases of pure lost of control resulted in surprising combinations, in a creative struggle in which the machine definitely won - maybe she knows what she does better than me, for all I know.

If I liked it? Well, I suppose the difficulty will be to know when to stop, because I'm already browsing the shop for the next acquisition... putting aside the more expensive models, I am tempted by Diana F, but I want to adapt it to 35mm film, otherwise the constraints are many! There are so many hypotheses, variants and accessories that is hard not to lose myself in the middle...
How about you, do you have a Lomo? What do you advise?

5 comments:

  1. Tenho uma, mas ainda fiz poucas experiências.
    Acho o conceito muito interessante e existem camâras tão bonitas.

    ReplyDelete
  2. As fotos ficaram lindas! Sou louca por lomografia e tenho (e recomendo) a Diana-mini, que usa filme 35mm!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada Camila! Essa é uma das máquinas que está na lista! Ou essa ou a Diana F com o adaptador para filmes de 35mm. Acho que vou pedir ao Pai Natal ;)

      Delete
  3. Ah, ficaram bem giras! Ando há séculos a namorar a supersampler mas nunca a comprei. Eu tenho a LC-A e a Diana F+. Se queres uma Diana recomendo a Mini que usa rolos de 35mm. A Diana F+ usa rolos de 120mm q têm menos fotos (12 ou 16) e custam mais a revelar.
    No entanto a Diana F+ tem mais lentes e "adereços" como a instant back e o adaptador de 35mm (este nem precisas,eu uso rolos de 35mm à mesma com uma versão DIY)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Se és viciada, acho que mais cedo ou mais tarde vais comprar uma multilens! Acho que são um bocado frágeis (esta, como dá para perceber, a dada altura deixou de puxar o rolo convenientemente...), mas são tão divertidas :D
      É pelo facto de ter mais acessórios que estou tentada pela Diana F+... e já me falaram nesse esquema DIY, mas confesso que eu não sou muito expert nestas coisas e tenho medo de fazer asneira! Na dúvida, sou bem capaz de cometer a tolice de comprar a máquina e o adaptador de 35mm (ou melhor, o Pai Natal vai ter que poupar até lá, eheheh ;)

      Delete

Ana Pina | blog

All rights reserved | Powered by Blogger

^