jewelry + Alberto Gordillo

Thursday, 5 May 2011








[fotos daqui, daqui e daqui.]

A nossa viagem por terras do Alentejo levou-nos a descobrir novas vilas, novos sabores e lugares. Ainda não vi todas as fotos em condições, mas espero em breve partilhar algumas. Entretanto, partilho uma das boas descobertas da viagem: o Museu de Joalharia Contemporânea Alberto Gordillo, em Moura, inaugurado em Fevereiro deste ano.

Este é o primeiro museu do género a aparecer em Portugal e, para além de recuperar de forma interessante um edifício do centro histórico de Moura, expõe algumas peças desenhadas e criadas por este joalheiro da vanguarda da joalharia portuguesa contemporânea, reconhecido internacionalmente, que eu não conhecia.

O Museu surge num edifício oitocentista que até à década de 1980 foi utilizado como Quartel dos Bombeiros. Este espaço museológico conta com um núcleo inicial de mais de 200 peças do artista Alberto Gordillo, doadas pelo próprio, das quais estão expostas cerca de 50, e prevê ainda o funcionamento de ateliers, oficinas e workshops no primeiro piso do edifício.

Alberto Gordillo nasceu em Moura em 1943 e mudou-se com 12 anos para Lisboa, onde começou a aprender ourivesaria na oficina de um tio. Gordillo revolucionou o campo da ourivesaria da época, começando a criar as primeiras jóias modernas em finais dos anos 50. Estas peças destacam-se pela extravagância e originalidade, mas também pela utilização de técnicas inovadoras e pela combinação de diferentes materiais, desde os nobres, como a prata e o ouro, até outros como o cobre e o bronze, associados a pedras semi-preciosas. É por isso considerado o pioneiro da Joalharia Moderna Portuguesa, tendo executado, a partir de 1965, protótipos de jóias de sua autoria para fábricas de ourivesaria de onde foram reproduzidas milhares de peças.
Algumas das jóias aproximam-se mesmo da vertente escultórica, que Gordillo também explorou.

Que bom que é, no decorrer de uma viagem muito pouco planeada encontrar boas surpresas como esta... espero que tenham gostado, partilharei mais em breve!


Our trip through Alentejo has led us to discover new villages, new flavors and places. I haven't yet seen all the photos I took, but I hope to share some soon. In the meantime, I share one of the best discoveries of the trip: the Contemporary Jewelry Museum Alberto Gordillo, in Moura, opened in February this year.

This is the first museum of its kind to appear in Portugal and, in addition to recovering a building in Moura's historic center in a very interesting way, it exposes some jewels designed and created by this avant-garde contemporary Portuguese jeweler, internationally recognized, that I didn't know about.

The museum is settled in an eighteenth century building that until the 1980s was used as a fire station. This museum has an initial core group of more than 200 pieces of artist Alberto Gordillo, donated by himself, of which about 50 are exposed, and also provides space for ateliers and workshops on the first floor of the building.

Alberto Gordillo was born in Mora in 1943 and moved with 12 years old to Lisbon, where he began to learn metalsmithing in his uncle's workshop. Gordillo revolutionized the field of goldsmith at the time, beginning to create the first modern jewelry in the late 50's. These pieces stand out for its originality and extravagance, but also for the use of innovative techniques and for combining different materials, from the nobles, such as silver and gold, to others, such as copper and brass, combined with semi-precious stones. He is therefore considered the pioneer of modern Portuguese Jewellery and he carried out, starting in 1965, prototypes of his own pieces to jewelry factories where thousands of jewels were reproduced. Some of the jewels come close to the sculptural aspect, which Gordillo also explored.

How good is that, during a little planned trip to find surprises like this... I hope you enjoyed it, I will share more soon!

0 comments:

Post a comment

Ana Pina | blog

All rights reserved | Powered by Blogger

^